De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença celíaca tem afetado aproximadamente cerca de 1% da população em todo o mundo. No Brasil é estimado que mais de dois milhões de indivíduos tenham a doença e que, na grande maioria dos casos, a maior parte das pessoas não tenham diagnóstico comprovado.

Pensando nessa prevalência e no fato dos rótulos dos produtos não proporcionam fácil identificação e entendimento das suas informações que, no dia 02 de setembro de 2021, o Conselho Federal de Nutricionistas (CFN) compareceu à Câmara Federal para debater o projeto de lei 2.484/2021, o qual pretende tornar obrigatório o uso do símbolo ‘’Grão Cruzado” na parte frontal dos alimentos isento de glúten.

O nutricionista Juarez Calil Alexandre, atual coordenador da Unidade Técnica do CFN, esteve presente representando o conselho e destacou a importância que o projeto de lei tem considerando o acesso à informação e contextos sociais, porém a adoção do símbolo traz preocupação pela na indução ao erro em casos de omissão e passar uma falsa imagem de saudabilidade para a população. O deputado André de Paula, autor do projeto, justifica o uso do símbolo nas embalagens devido as dificuldades que muitos celíacos têm em relação à presença do glúten nos alimentos, como por exemplo, pelo analfabetismo, problemas oftalmológicos não diagnosticados ou indivíduos que não possui recursos para adquirir óculos.

Fonte: CFN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui